Encontro discute organização do Plantão de Farmácias 24h

Por / 1 ano atrás / Parobé, Política / Nenhum Comentário

farmácias (4)

 

Reunião contou com a presença de vereadores e representantes das farmácias locais

 

O presidente da Câmara de Vereadores de Parobé, Enio Terra, recebeu nesta semana em seu gabinete representantes de diversas farmácias do município para debater a respeito de mudanças na organização do rodízio do plantão 24 horas.

Este sistema de atendimento à população é regido pela Lei Municipal 3.225 de 17 de abril de 2013, e prevê que após as 20 horas seja feito um revezamento entre as lojas que se disponibilizaram em abrir à comunidade durante o período das 20h às 08h.

Atualmente apenas duas farmácias participam como plantonistas, porém durante a reunião, outras duas lojas se apresentaram para aderir ao plantão.

Além disso, os comerciantes reivindicam mais fiscalização do Executivo para averiguar se as lojas participantes estão mantendo o acordo de não vender medicamentos após às 20 horas, no intuito de que não haja algum tipo de descumprimento da Lei.

Representantes do Conselho Regional de Farmácias também participaram do encontro, e destacaram a importância de que todos os plantonistas estejam cientes da necessidade de um farmacêutico mesmo no período da noite.

“Muitas cidades enfrentam o problema de não haver nenhuma farmácia interessada em participar destes sistemas de plantão 24 horas devido aos custos gerados com este sistema. É importante que todos os proprietários não trabalhem de forma ilegal, permitindo que sejam vendidos medicamentos sem a presença de um farmacêutico devidamente registrado junto ao Conselho”, destacou o gerente de fiscalização, Marcelo Knevitz e também o coordenador jurídico da entidade, Marcio Alminhana Airoldi.

Conforme o chefe do Legislativo, é preciso que haja uma sintonia entre o poder público e as farmácias da cidade a fim de otimizar o serviço de plantão sem que haja algum tipo de rompimento no sistema que atende os moradores. “Temos que cumprir o que está descrito na Lei. A comunidade jamais pode ficar sem a oferta de remédios durante o período da noite. Vejo muitos casos de crianças, idosos e grávidas doentes, que precisam de algum tipo de medicação após o período em que as farmácias estão abertas normalmente e a quebra deste rodízio pode prejudicá-las”, afirmou Terra.

Sem que haja alterações na forma em que ocorre o revezamento das farmácias participantes, o Legislativo enviou à Prefeitura Municipal um ofício pedindo que os novos interessados sejam incluídos na Lei Municipal, com o objetivo de agilizar a tramitação do projeto de Lei que deve realizar esta alteração. Um edital deverá ser publicado com a chamada para a inclusão destas duas novas farmácias no revezamento.

Também estiveram presentes na reunião os vereadores Antônio Carlos dos Santos (PDT), Carlos Alberto Finger (PT), Alex Bora (PR) e Elario Carlos Jahn (PMDB).

 

 

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados. *