Combate à Dengue é intensificado no verão

Por / 2 semanas atrás / Geral, Parobé, Saúde / Nenhum Comentário

Combate à Dengue é intensificado no verão

Ações da Secretaria de Saúde e do Meio Ambiente visam combater focos do mosquito

Em uma ação conjunta as Secretarias de Saúde e Meio Ambiente vem trabalhando para juntas para conscientizar a população sobre os perigos do mosquito Aedes aegypti. Segundo a Vigilância Sanitária, o principal problema enfrentado é a resistência das pessoas quanto a orientação dos Agentes Comunitários de Saúde (ACS). De acordo com a biológa do município Circe Kayser “As pessoas não acreditam que esse mosquito pode causar uma doença perigosa a saúde, ou ainda, pensam não tem dengue aqui em Parobé então não tem perigo”, explica.

Os ACS estão diariamente nos domicílios em Parobé, verificando os pátios e orientando as pessoas a eliminarem focos de água parada. Além disso, há dois agentes de endemias que fazem o LI+T (Levantamento de índice e tratamento) que consiste em ir às casas fazendo o mesmo trabalho dos ACS, porém, em bairros que não possuem coberturas pelas UBS´s. Os agentes de endemias, também fazem o chamado tratamento químico, aplicando inseticidas, larvicidas e verificam os Pontos Estratégicos (PE), em 26 logradouros específicos, colocados em cemitérios, floriculturas, borracharias e madeireiras.

Em 2017 não foram registrados casos de Dengue no município, mas o cuidado deve ser rotineiro para evitar o aparecimento de casos. Os bairros com maior presença do mosquito Aedes aegypti são: Alexandria, Integração e Funil. Nesses locais o combate é feito praticamente todos os dias. As recomendações de não deixar água parada em potes, tampas, bacias, pneus, garrafas e outros materiais que possam acumular água, são repassadas massivamente pelos agentes. Mas, mesmo assim são encontradas larvas em alguns domicílios.

Fiscalização

A parceria com a Secretaria do Meio Ambiente é, para auxiliar no monitoramento e fiscalização, através de ações como o projeto de destinação correta de pneus, fiscalização da água parada em terrenos, descarte irregular de materiais que possam acumular água e torna-se foco do mosquito.

Quando são identificas essas infrações, os infratores estão sujeitos a penalizações previstas no Código de Postura do Município, conforme a Lei Municipal n° 581/91, em especial o artigo n° 35 sobre águas paradas. Consiste no papel do Meio Ambiente fazer a fiscalização e o monitoramento e notificar o infrator para que a situação seja regularizada, caso contrário haverá a aplicação de multa. Para o secretário do Meio Ambiente Valdenir Martins o trabalho em conjunto entre as secretarias é uma forma de dinamizar as ações “Essas ações em parceria contribuem para um melhor atendimento as demandas da população”, conta. Já para o prefeito Moacir Jagucheski, o trabalho em conjunto das secretarias mostra a preocupação da administração com a população “A união de esforços fará com quem possamos diminuir os focos do mosquito, temos que seguir com esse intenso combate”, destaca.

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados. *